Novas tecnologias vêm surgindo diariamente e impactando diversos setores. À frente delas, startups que visam solucionar problemas reais dos consumidores e acabam sendo incorporadas ou utilizadas em empresas de diversos segmentos e portes. No varejo, este cenário vem sendo construído pelas retail techs. Você já ouviu falar sobre elas?

Se esse assunto ainda soa como novidade para você, fique ligado. O futuro da tecnologia para o varejo vem sendo desenvolvido em grande parte por elas!

Agora, se esse termo já é um velho conhecido seu, vale a leitura para conhecer quais são as startups que mais têm se destacado e apresentam um panorama forte de inovação que poderá ajudar o seu negócio a deslanchar!

Quem são as Retail techs e como elas estão revolucionando o varejo

Já é consolidado e unânime o papel da tecnologia para a inovação em todos os setores da economia. As startups, negócios em busca de modelos de negócios repetível e escaláveis, que trabalham em ambientes de extrema incerteza em busca da solução de problemas reais, têm feito um excelente trabalho nesse quesito.

Você já deve ter ouvido outros termos que incorporam o termo “tech”, de tecnologia, como é o caso das Fintechs, Edtechs e, o tema desse post, retail techs. Elas correspondem a um grupo de startups que atuam na transformação digital de determinados setores:

Financeiro = Fintech;

Educação = Edtech;

Varejo (retail) = Retail tech.

Quando falamos em inovação, tecnologia e transformação digital no varejo, logo se pensa no e-commerce, que de certa forma apresenta como característica esses pontos e demonstra em relatórios anuais de venda do comércio um crescimento considerável.

Contudo, a proposta das retail techs vai muito além e as soluções apresentadas por elas beneficiam a experiência de consumo tanto no varejo físico quanto no on-line – em alguns casos, inclusive, convergindo ambos!

Para se ter uma ideia do crescimento e da representatividade delas, um levantamento realizado pela Distrito pela OasisLab Innovation Spacee mapeou 269 startups voltadas para o varejo e para o consumo, em 2019, apenas no Brasil.

Elas estão vinculadas a IoT (Internet das coisas), inteligência artificial, Big Data e outras tecnologias de ponta, auxiliando tanto no contato com o consumidor quanto na tomada de decisões.

 

Dentre as entregas nas soluções, destacam-se:

  • Captação da movimentação dos consumidores dentro das lojas, rastreando seus interesses conforme o campo de visão;
  • Uso de dados minerados em grande volume para tomada de decisões, refinamento e otimização de processos;
  • Uso dos dados para ampliar a personalização nas comunicações e ofertas,
  • Processo logístico integrado e automatizado;
  • Unificação de canais para estratégias gerais de negócio (omnichannel);
  • Meios de pagamento que facilitam tanto as compras quanto as cobranças.

Visando o futuro, o mercado nacional de startups retail techs segue tendo como referência o cenário internacional, onde o crescimento nos investimentos do chamado “capital de risco”, dinheiro destinado a impulsionar pesquisas e desenvolvimento destas tecnologias por estas empresas é considerável e consistente, desde 2013.

O que as retail techs se propõem a reinventar

De acordo com o Retail Tech Mining Report 2019, existem mapeadas nove categorias de startups que atendem o segmento de varejo e consumo, abrangendo a operação do negócio de ponta a ponta. São elas:

  • Ambientes virtuais;
  • E-commerce;
  • Engajamento do Consumidor;
  • Inteligência artificial (AI);
  • Internet das coisas (IoT);
  • Logística;
  • Operações;
  • Pagamentos;

Cada uma das categorias abrange resolução de problemas diferentes na cadeia operacional varejista e possui retail tech de destaque. Entenda melhor cada uma delas e veja qual delas poderia ajudar na resolução das dores atuais de seu negócio e consumidores!

 

Ambientes Virtuais

Nesta categoria, as retail techs têm como core a atuação com tecnologias de realidade virtual aumentada. Elas focam no desenvolvimento de interfaces que auxiliam empresas a melhorar tanto o atendimento quanto o relacionamento com o consumidor.

As tecnologias desenvolvidas por startups dessa segmentação atuam em pontos de venda físicos, auxiliando lojas tradicionais a se reinventarem ao propiciar layouts de lojas e displays promocionais mais interativos.

Eles favorecem a experimentação de produtos no ambiente virtual, ou seja, não há a necessidade do contato direto com o item, mas a experiência se mantém fiel para a tomada de decisão de compra.

O que prometem entregar:

  • Inovação no varejo físico, modernizando interfaces de demonstração e compras;
  • Novas exigências do consumidor mediante o comportamento de compra;
  • Inclusão de canais digitais para a compra.

 

E-commerce

Aqui, as startups do varejo se dispõem a focar em cinco pontos distintos, resolvendo dores diferentes em cada foco de operação:

 

Mobile Commerce

Nesta subcategoria, a inovação cerca os canais de venda mobile (dispositivos móveis), seja de interface híbrida ou nativa.

O que prometem entregar:

  • Melhoria na usabilidade;
  • Aumento nas taxas de conversão em vendas realizadas por aplicativos;
  • Inovação e melhoria de interfaces para dispositivos móveis.

Plataforma White label

Aqui, a oferta consiste na utilização de plataformas digitais para vendas, relacionamento ou pagamento, personalizadas e adaptadas a cada varejista, que poderá utilizar sua marca sem a necessidade de desenvolver o produto em si.

O que prometem entregar:

  • Desenvolvimento, gestão e implementação de plataformas sem que o varejista precise tirar a atenção do core do negócio (terceirização de know-how).

Marketplace integrador

Esta subcategoria visa facilitar a entrada do varejista em marketplaces, auxiliando em todas as etapas da operação para controle e acompanhamento de indicadores.

O que prometem entregar:

  • Facilidade na divulgação de produto em múltiplas plataformas;
  • Melhores taxas e contratos já negociados com os players de maior destaque.

Social Commerce

Aqui as startups visam alavancar as vendas por meio das relações sociais, por meio de recomendações e troca de produtos.

O que prometem entregar:

  • Aumento na taxa de conversão quando comparado aos canais tradicionais;
  • Ganhos na troca de informações entre clientes sobre a experiência vivenciada na compra.

Mídias, reputação e recomendação

A proposta das retail techs que atuam nessa subcategoria é obter a sinergia entre lojas físicas e virtuais ao trabalhar a inteligência de recomendação de preço e ofertas, bem como as mídias, de forma personalizada.

O que prometem entregar:

  • Aumento das vendas por meio da personalização.

 

Engajamento do Consumidor

A categoria visa propor soluções que estão diretamente ligadas a incentivos e táticas operacionais de engajamento para promoção de marcas e, consequentemente das vendas.

 

 

Fidelidade e lealdade do consumidor

São startups que trabalham na construção de programas de incentivo conforme a fidelidade provinda da recorrência das compras.

O que prometem entregar:

  • Maior adesão dos consumidores aos programas de relacionamento.

CRM, Marketing e ofertas

As retail techs que atuam nessa subcategoria visam a oferta de soluções para coleta de informações e feedbacks de compra do cliente, análise de dados e relacionamento (CRM), bem como no desenvolvimento, divulgação e ativação da marca.

O que prometem entregar:

  • Aumento do reconhecimento de marca (awareness);
  • Maior engajamento da geração digital;
  • Padronização e personalização para campanhas diferenciadas.

 

Inteligência Artificial (AI)

O futuro é agora, e o uso da Inteligência artificial é realidade para o atendimento, incluindo recomendações personalizadas e conversas em linguagem natural.

 

Recomendações e personalizações

Por meio de mecanismos promocionais e de ofertas personalizadas, essas startups utilizam da AI aplicada às recomendações e ao remarketing.

O que prometem entregar:

  • Redução da taxa de abandono de compra (conversão) nos canais físicos e virtuais;
  • Maior assertividade nas recomendações de produtos.

Integração de canais (mídias)

A proposta destas retail techs é facilitar o atendimento aos clientes na plataforma de sua preferência sem onerar a empresa ao consolidar todos os canais para resposta em um só lugar (omnichannel).

Por meio delas, esse relacionamento pode ser por áudio, vídeo, e-mail, redes sociais diversas, aplicativos de mensagens, bots, dentre outros, de forma integrada, melhorando a experiência tanto para o atendente quanto para o consumidor.

O que prometem entregar:

  • Centralização das informações;
  • Eficiência na solução do problema;
  • Integração de dados.

Chatbot e Shopbot

Essas startups visam o desenvolvimento de aplicações que agem como assistentes virtuais, acompanhando o cliente durante toda a sua jornada de compra.

Por se basearem em inteligência artificial e no conceito de marketing conversacional, elas conseguem compreender e criar uma comunicação com linguagem natural ao interagir com o consumidor.

Dessa forma, compreendem necessidades para resolução de problemas e recomendações de produtos personalizados por meio de conversas automatizadas, com base no aprendizado contínuo.

O que prometem entregar:

  • Personalização e padronização no atendimento;
  • Melhoria do sentimento ao gerar empatia, conexão e proximidade com o consumidor.

 

Internet das Coisas (IoT)

Por meio da conexão entre itens do cotidiano com a internet, a IoT, ou Internet das coisas, as startups retail techs que atuam nessa categoria prezam pela experiência de consumo prática, no ponto de contato com o cliente.

 

Beacons para Analytics e Marketing

Beacons são dispositivos instalados em lojas para identificação de outros dispositivos, os móveis. As startups que trabalham com tecnologias dessa categoria, desenvolvem hardware e software para identificação e acompanhamento de visitantes, coletando dados para análises internas.

O que prometem entregar:

  • Maior personalização em campanhas promocionais;
  • Possibilidade de mensuração da taxa de sucesso e das conversões realizadas nas campanhas promocionais ativas;
  • Maior controle interno sobre produtos e promoções.

Corredor e Display Interativo

Nessa subcategoria, as retail techs visam desenvolver maior interação do consumidor nos corredores da loja com Displays, proporcionando uma experiência que enriquece a jornada de consumo.

O que prometem entregar:

  • Atualização da comunicação off-line;
  • Maior padronização da comunicação;
  • Facilidade de mensuração nas métricas de conversão de campanhas off-line;
  • Maior atração e interatividade junto ao cliente.

Mapeamento indoor e analytics

Aqui, as retail techs visam entregar dados e mapas de calor que indicam as rotas dos consumidores na lojas, entregando insights valiosos para a distribuição estratégica dos produtos no ponto de vendas.

O que prometem entregar:

  • Informações estratégicas para o posicionamento de produtos;
  • Entendimento sobre o percurso do cliente no ponto de venda;
  • Mais informações para a tomada de decisões.

Conveniência por meio de wi-fi para clientes

São startups que desenvolvem tecnologias para disponibilizar conveniência aos clientes como o serviço de wi-fi, gerando uma boa experiência e, claro, obtendo dados para entendimento sobre o consumidor.

O que prometem entregar:

  • Dados ilimitados para acesso à internet pelo consumidor;
  • Facilidade para acesso a canais e informações dentro da loja;
  • Maior adesão às promoções e ativações digitais durante o processo de compras.

Music Branding

As retail techs dessa subcategoria, além de atuar com o marketing sensorial gerenciando listas de reprodução musical, trabalham com o monitoramento de reações dos consumidores para identificação do efeito na experiência junto à marca.

O que prometem entregar:

  • Listas musicais mais alinhadas com a proposta de valor de marca e público;
  • Inclusão da estratégia de marketing sensorial;
  • Aumento da retenção do cliente na loja.

 

Logística

Essa categoria corresponde às startups que buscam solucionar um dos problemas mais atenuados do varejo: as entregas, seja da loja para o consumidor ou o inverso.

 

Clique e retire

Trata-se de uma aplicação que permite a retirada dos produtos adquiridos em um ponto de vendas mais próximo, em vez de depender exclusivamente do frete, gerando mais agilidade na experiência de contato do cliente com o produto adquirido.

As startups dessa subcategoria visam melhorar o processo logístico para o recebimento desses itens pelos consumidores.

O que prometem entregar:

  • Redução da ansiedade gerada pelo tempo de entrega, melhorando a experiência e a satisfação junto à empresa;
  • Redução do custo de frete para o consumidor, que é responsável por boa parte da taxa de abandono de carrinho em e-commerces;
  • Redução do risco de perda e extravio pela empresa de logística terceirizada.

Logística reversa

O processo de logística reversa compreende na devolução para troca ou em caso de arrependimento, reciclagem ou descarte de materiais, sendo as startups dessa subcategoria responsáveis por auxiliar as empresas na facilitação desse processo.

O que prometem entregar:

  • Mais facilidade aos consumidores para entregar os produtos ou materiais adquiridos on-line.

Entrega Smart

Mais agilidade nos serviços de entrega logística com inteligência no processo é o que visam as retail techs dessa categoria.

O que prometem entregar:

  • Maior eficiência logística;
  • Aumento da satisfação dos consumidores reduzindo o tempo de entrega e extravios.

 

Operações

Nessa categoria, as startups trabalham em melhorias de processos operacionais do varejo, entregando tecnologia para maior eficiência nas rotinas das lojas.

 

Foco no colaborador ou vendedor

As retail techs que atuam nessa subcategoria desenvolvem ferramentas tecnológicas que favorecem o treinamento, o desenvolvimento e a comunicação para a equipe atuante no varejo.

O que prometem entregar:

  • Redução no Turnover dos funcionários de loja;
  • Facilidade na manutenção de rotinas contínuas de treinamentos.

Software de Gerenciamento de Loja

São as startups que estão propondo a inovação nos tradicionais softwares de Gestão, os ERP, com um viés direcionado para as necessidades de controle e registro dos lojistas.

O que prometem entregar:

  • Eficiência operacional;
  • Alta padronização;
  • Maior eficiência e controle dos processos operacionais e sistemas internos.

Gestão de Inventário e Estoque (processos)

As retail techs dessa subcategoria focam no desenvolvimento de aplicações que aliam controle, processos e eficiência na gestão do estoque e do inventário geral das lojas.

O que prometem entregar:

  • Menor divergência no estoque;
  • Redução da taxa de ruptura nas lojas físicas.

Ponto de Venda Inteligente

Nessa categoria, as startups visam o desenvolvimento de tecnologias que auxiliam no monitoramento e na otimização da operação do inventário.

Essas soluções contribuem para o entendimento do lojista e das marcas de bens de consumo sobre a exposição dos itens nas prateleiras, acompanhando o giro e obtendo insights tanto de preço quanto de posicionamento.

O que prometem entregar:

  • Redução do tempo dispendido na contabilização do inventário;
  • Maior eficiência operacional;
  • Redução de erros cometidos com a contagem manual;
  • Redução de custos;
  • Redução da perda de vendas em horários de pico nas lojas;
  • Menor ruptura no ponto de venda;
  • Controle para reabastecimento de produtos;
  • Maior previsibilidade de demanda e reposição do planejamento.

Promoções e recompensas

São as retail techs que atuam diretamente com as ações promocionais e de compra, comparação de preços, reservas, cachback e outas bonificações ao cliente, que podem ser descontos ou vantagens.

O que prometem entregar:

  • Visibilidade da vantagem de compra pelo consumidor;
  • Menor dispersão dos pontos e vantagens em programas individuais das marcas;
  • Mais facilidade em acompanhar o histórico de pontuação.

Omnichannel

A subcategoria contempla empresas que desenvolvem sistemas de automação comercial para o gerenciamento, controle e registro das movimentações realizadas na loja, de maneira simples e eficaz.

O que prometem entregar:

  • Aumento da satisfação do cliente por ser tratado de forma igualitária tanto nas lojas físicas quanto das virtuais;
  • Redução de perda de compras devido a mudanças de canal.

 

Pagamentos

Na categoria de pagamentos, as retail techs apresentam soluções relacionadas à facilidade nas transações, moedas digitais (criptomoedas) e redução do ponto de contato no fechamento das vendas.

Facilitadores de transação

As startups dessa subcategoria trabalham em tecnologias que ajudam a gerenciar e automatizar pagamentos para consumidores, propiciando facilidades no pagamento pelos consumidores nas lojas físicas.

O que prometem entregar:

  • Redução de filas nas lojas;
  • Menor desistência das compras no caixa;
  • Aumento das opções na forma de pagamento.

Contactless

Como o próprio nome em tradução propõe, o intuito das startups nessa subcategoria é reduzir os pontos de contato para pagamento, facilitando transações em dinheiro e aumentando a segurança para os estabelecimentos comerciais, emissores e para a economia, de forma geral.

O que prometem entregar:

  • Redução de filas;
  • Redução das taxas de chargeback;
  • Menor necessidade de troco.

Blockchain e criptomoedas

As criptomoedas vêm ganhando cada vez mais espaço no mercado, principalmente após o anúncio da Libra, a moeda digital do Facebook.

Apostando na crescente desse mercado, as retail techs dessa subcategoria têm desenvolvido tecnologias para possibilitar o pagamento em qualquer tipo de moeda com um único gateway de processamento de pagamentos, convertendo-as automaticamente para a moeda local.

O que prometem entregar:

  • Menor volatilidade no mercado de criptomoedas;
  • Menor perda financeira para os varejistas;
  • Facilidade na manipulação das carteiras disponíveis (gestão das criptomoedas).

 

Sustentabilidade

Nessa categoria se encontram as empresas de inovação que propõem o consumo consciente e/ou o desenvolvimento de programas de sustentabilidade para o varejo.

O que prometem entregar:

  • Facilidade em alcançar consumidores motivados pela preocupação quanto ao consumo consciente e à sustentabilidade;
  • Menor impacto prejudicial em meios social e ambiental.

 

Cake ERP é destaque no segmento de operações para varejo

 

Compreendidas as categorias e as dores que as retail techs pretendem resolver por meio das entregas propostas, vale o entendimento sobre quais são as startups destaque de cada uma delas e suas subcategorias.

Nesse sentido, um estudo realizado anualmente também pela OasisLab Innovation Space, um hub de inovação dedicado a transformar e gerar novas oportunidades ao varejo, traz nomes diretos de quem são cada uma delas.

Na última versão do report “Panorama das startups brasileiras que estão transformando o varejo – segunda edição de 2018”, nós do Cake ERP fomos destaque na categoria “Operações”, representando junto a outros nomes a subcategoria “Software de Gerenciamento de Loja”. Não é demais?

Trabalhamos diariamente em busca da melhoria do nosso software, totalmente voltado para varejistas de todos os portes. Todos os recursos e funcionalidades apresentados buscam entregar facilidade e eficiência em uma interface intuitiva, acessível e simples para a melhoria da gestão pelos lojistas.

 

Por se tratar de um sistema para a integração de toda a empresa, disponibilizamos funcionalidades que abrangem:

  • Gestão financeira, para um melhor controle das contas, fluxo de caixa e manutenção saudável das finanças de sua loja;
  • Gestão de vendas, para a criação de pedidos, emissão de notas fiscais e organização dos processos de vendas;
  • Gestão de estoque, para controlar os produtos em estoque, fazer o inventário, gerar etiquetas e muito mais;
  • Gestão de compras, para controlar processos de compra desde a criação das ordens de pedido até a importação das notas fiscais eletrônicas;
  • Relatórios e Gráficos, para acompanhamento do desempenho do negócio por meio de relatórios e gráficos gerenciais;
  • Frente de Caixa, para integrar o PDV ao controle do back-office de sua loja de forma automatizada;
  • Integração com e-commerce, favorecendo a gestão integrada da sua loja virtual até a emissão das notas fiscais eletrônicas.

A grande vantagem é que as funcionalidades do Cake ERP foram desenvolvidas para atender às demandas específicas dos varejistas e seus consumidores, favorecendo a facilidade na gestão do negócio.

Aproveite para baixar o nosso guia de funcionalidades para entender melhor como podemos atuar junto a você no crescimento da sua loja e nossa tabela comparativa de preços e planos para ver qual se encaixa melhor para sua empresa.

Agora que você já conhece melhor o universo das retail techs, vale também conferir os reports indicados na íntegra e iniciar, agora mesmo, o seu teste gratuito do nosso sistema de gestão!

Também recomendamos para você!

[gs-fb-comments]